IMG_1121

Pais: libertem os vossos filhos!

dianaadmin Família 5 Comments

Pais, libertem os vossos filhos daquilo que eles não são.
Libertem-nos daquilo que gostavam que eles fossem,
das notas que desejavam que eles tivessem,
do comportamento exemplar que sonhavam que eles espelhassem.
Libertem-nos de os apresentarem como bons ou maus,
de os apresentarem pelas notas que têm.
Libertem-nos das comparações e da aparência, da cultura que parece às vezes crescer vazia de amor e cheia de falsas necessidades, onde a responsabilidade morre sozinha e ninguém é responsável por nada, inclusive os pais pela felicidades dos seus filhos.
Libertem-nos dos vossos medos e daquilo que sonharam para eles.
Modelem-nos com amor, com respeito, com responsabilidades de acordo com a idade, de acordo com as necessidades e de acordo com aquilo que os faz realmente crescer: a ação, o erro e a aprendizagem.
Modelem-nos a ser e não a ter, a viver de dentro da para fora, a viver com os erros sem crítica mas com conversas francas e verdadeiras.

Pais, os filhos que crescem a sentir que não correspondem as expectativas dos pais, serão sempre filhos infelizes à procura de serem aquilo que não são.

Diana

Fotografia | Ritabela Santos

Comments 5

  1. Artur Costa

    Bonito texto, Diana. Mas será essa a solução da boa educação. É que por um lado temos a experiência de já sermos criados, mas depois temos as dúvidas daquilo que deveremos fazer ou não. E a responsabilidade?…sabes o que é?
    Ser pai ou mãe não é por gosto, é porque houve vontade de o ser. Se assim foi um novo universo apareceu e, quantos mais nascerem mais universos haverá…
    Saberei sempre que vida é só uma. Esta e mais nenhuma 🙂

  2. Cristina

    Bom Dia,

    Recebi este artigo através de uma colega.
    Chorei quando li, porque tudo o que li para mim corresponde à realidade, infelizmente….
    Por vezes não queremos entrar nesse jogo mas somos empurrados à força toda para o meio dele porque infelizmente a maioria das pessoas pensa assim.
    Como me sinto, triste desde que a minha filha foi para a escola primária…e como me sinto um grão de areia minúsculo a pensar da forma como a Diana pensa…E mais triste fico ainda, quando me vejo a empurrar a minha filha para o mesmo jogo, a maioria das vezes sem pensar, sem refletir, pois achamos que não há tempo para pensar mas mais tarde arranjamos tempo para pensar só que já é tarde….OBRIGADA DIANA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *