João Marques22

Tempo: Prisão ou liberdade

dianaadmin Amor Próprio, meditação, Mudança, Ser Feliz Com Sucesso, Viver 2 Comments

Passas o dia a correr e muitas vezes nem percebes para quê,
embora possas saber alguns dos porquês.

Corres no e para o trabalho,
corres em casa e para casa,
corres nos afetos e nas partilhas,
corres para ver mas não estar com os amigos,
corres para fazer o que achas que tens de fazer e quando paras e olhas, ou alguém te faz olhar, avalias que talvez a corrida seja exagerada e que nem tudo seja assim tão importante e urgente.

Vives com o relógio dentro de ti sentido como uma prisão porque queres viver tudo,
embora neste contratempo estejas a perder vida.

Não és um relógio que bate de forma coordenada,
és humano que precisa de saber o que quer fazer e como,
que precisa de parar para respirar,
de sentar para comer,
de parar para olhar nos olhos.
E que tudo apenas vive quando feito com calma e consciência.

Talvez este excesso de corrida dite a tua falta de paciência,
o descontrolo, e grande parte dos problemas emocionais que vives.
Convido-te a perguntares para ti próprio:
Porque corres?
Para onde corres?
Com que intenção?

Percebe o que é realmente importante para ti,
com que qualidade de vida queres viver,
e como estás a gerir os teus papéis e os teus objetivos.

O planeamento é fundamental,
a organização e o tempo presente com consciência,
ditará o resto.

Diana

Fotografia | João Marques

Comments 2

  1. Maria

    Na verdade vivemos numa correria louca, onde a pressa de chegar a tudo e a todos é o nosso principal objetivo e só muito tarde nos apercebemos que na realidade o que nos aconteceu é que não vivemos felizes e muito menos fizemos felizes os que nos rodeiam.
    Espero que a lição da Diana nos faça meditar e que nos conduza a uma vida onde impere a serenidade com objetivos traçados diariamente para uma vida com qualidade.
    Mais uma vez!
    Obrigada Diana do fundo do coração!

  2. Teresa

    Verdade Diana, tanto corremos e no fim ficamos com a nítida sensação que nada valeu a pena, porque não fizemos nada do que realmente queríamos e frustração é a única realidade concreta com que lidamos.
    Obrigada Diana por tantos e tão bons artigos que são sempre uma ajuda e uma chamada de atenção para nos focarmos mais naquilo que realmente devemos fazer da nossa vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *