11164764_1039184982761249_5620693036784704376_n

Neste Natal, vamos partilhar cartas de amor?

Diana Gaspar Amor, Amor Partilhado, Amor Próprio, Gratidão, Paixão, Paz, Ser Feliz Com Sucesso, Viver 1 Comment

Já sentimos o Natal a chegar e com ele começamos a pensar no que podemos e queremos oferecer. Desde prendas simbólicas a prendas com algum valor material, para todas as carteiras e cartões de crédito, o Natal ainda significa comprar qualquer coisa para partilhar.

Todos queremos ter qualquer coisa para partilhar nesta noite especial, não fosse o Natal o momento do ano em que nos predispomos a mostrar aos que nos são importantes que nos lembrámos deles e que são importante para nós. E escolhemos, grande parte das vezes a dita lembrança ou prenda para manifestar o nosso amor ou intenção.

Mas será a prenda comprada a melhor, ou única, forma de dizer aos outros que os amamos?

Amar entre muitas outras coisas é um verbo que reflete atenção, abraços, sorrisos, conversas francas, verdades sentidas, tempo para estar, acolher, escutar e tocar, com braços abertos e palavras quentes que contemplem o “gosto de ti”, “és importante para mim”, “obrigada por fazeres parte da minha vida”, “fazes-me crescer”, “aprendo tanto sobre mim contigo” – e com comportamentos que acompanhem a intenção das palavras na forma como as comunicamos aos outros.

O amor jamais se conseguirá refletir numa prenda material, seja ela cara ou barata. Perdemos tanto quando nos perdemos da essência do amor, da partilha, da vida, do contacto fisico, das palavras sussurradas ao ouvido, da força transmitida num olhar e tantas outras coisas mais que fazem um Natal ser inesquecível…

E se em vez de prendas oferecêssemos cartas de amor, de gratidão e de comunhão que reflectissem a importância que os outros têm realmente nas nossas vidas? Uma carta que diga porque é diferente o Natal com essa pessoa especial que tanto nos dá, e que tanto queremos que continue a dar, e nós a ela.

Que Natal teríamos se em vez de filas nos centros comerciais, se parássemos todos para escrever para os que amamos, de coração aberto, a vibrar em amor e em gratidão? Todas as revoluções começam por palavras pensadas, escritas e ditas. Acredito no poder construtivo e revolucionário do Natal e acredito que o amor é a maior forma de a fazer.

Mais cartas de amor são os meus votos para este Natal que mesmo longe já se começa a sentir.

Diana

Comments 1

  1. Carlos Ferreira

    Muito boa a ideia.
    As palavras podem ser um cheiro de vida para vida. Um tesouro só é apreciado quando descoberto, assim se passa com o tesouro das palavras por dizer. Faz bem a quem as diz e a quem as ove.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *