_DSC0071

Espelho, espelho meu há alguém mais bonito do que eu?

Diana Gaspar Amor, Amor Partilhado, Amor Próprio, Relacionamentos, Viver 0 Comments

Narcisismo e egocentrismo não é excesso de amor, mas sim, a ausência dele. Achar que se é o centro de mundo, que a nossa razão é a melhor, que sabemos tudo e os outros pouco ou nada sabem, que somos os melhores em alguma coisa e que devemos agir sempre em função das nossas necessidades, é tão patológico como a falta de autoestima e o sentimento constante de inferioridade.

No amor-próprio cabem de forma harmoniosa os outros também e o bem-estar de terceiros, sem a necessidade constante de satisfação de necessidades exclusivas nossas.
Quando nos amamos não precisamos de ser o centro do mundo, nem da atenção constante dos outros, e muito menos de nos acharmos superiores a alguém, só porque achamos que dominamos alguma coisa melhor ou com mais sucesso.

O amor-próprio não contempla individualismo, egos desmedidos, sentimento de superioridade nem a necessidade constante de atenção e aprovação.
O amor-próprio sabe de si, mas também sabe dos outros, respeita-se a si e tem por princípio respeitar os outros, não precisa de se achar o mais bonito, apenas bonito na sua simplicidade e singularidade.
O amor-próprio não vive só da imagem, mas muito mais das verdades que se permitem escutar e transformar. O amor-próprio precisa de ser cultivado e cuidado todos os dias, não em função da comparação com os outros, mas sempre com a intenção de um equilíbrio interno de quem quer viver bem dentro de si e fora de si.

Diana

Fotografia | Luís Duarte

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *