MULHER

Quando esperamos pelo reconhecimento dos outros…

Diana Gaspar Amor, Família, Mudança, Relacionamentos, Ser Feliz Com Sucesso, Viver 2 Comments

Gostávamos que nos dessem os Parabéns, que nos batessem nas costas, que nos dissessem que demos o máximo, que reconhecessem os nosso feitos, bravuras, aventuras, coragem e ousadia. Gostávamos que nos dessem um abraço e aconchegassem o nosso cansaço, e tudo aquilo que fizemos para atingir o que atingimos. Gostávamos de partilhar aquilo que sentimos e que nos fosse reconhecido esse feito com elogios, palavras e outros tipo de manifestações. No entanto, muitas destas expectativas, às vezes, não chegam, outras tantas, nunca vão chegar. Na realidade acredito que as nossas maiores conquistas devem ser essencialmente valorizadas por nós, afinal, somos os primeiros e, às vezes, os únicos, a ganhar com elas e a beneficiar com o gozo de as conquistarmos e de conseguirmos dar outro valor e outro sentido à nossa vida.

Porque precisamos tanto do reconhecimento do outro, do seu elogio e da sua palmada nas costas, afinal?

Porque fomos educados, e continuamos a educar, à valorização e ao elogio por parte dos outros sempre que fazemos alguma coisa bem ou damos o máximo na concretização de alguma coisa. E esta forma de estar, às vezes, é tão vincada do ponto de vista educacional que deixamos muitos vezes de fazer, viver e arrojar por nós, e porque isso é importante para nós, para passarmos a fazer pelos outros e por aquilo que eles podem vir a pensar e a partilhar sobre nós, connosco e com o mundo.

Também quando assim é, deixamos de viver para nós, e passamos a viver para o outro e para sua valorização e reconhecimento. Acredito que este tipo de expectativa nos coloca a viver para os outros, e com doses elevadas de frustração e rejeição quando esses outros, para quem vivemos e fazemos brilharetes, não correspondem ao que esperávamos deles. E o mais engraçado é que não o fazem muitas vezes porque não se lembram ou por outro motivo qualquer que não nos passa pela cabeça…

Precisamos tanto da valorização do outro? Para quê e porquê?
As hipóteses são muitas mas acredito que estarão relacionadas com insegurança, medo de falhar aos olhos dos outros e pela necessidade que nos aprovem, estimem e valorizem porque em grande medida não nos estimamos, valorizamos ou estimamos a nós. Como seres humanos que somos, acredito que isto seja importante e alimente a relação que temos de partilha e crescimento com os outros, no entanto, pode-se tornar muito frustrante e desnecessário quando se vive em função disto exclusivamente ou para isto apenas.

Assim sendo, acredito ser fundamental trabalharmos para nós, conquistarmos porque isso faz sentido na nossa vida e saborear a bravura com que abraçamos as nossas causas e os nosso objetivos. Acima de tudo porque isso acrescenta valor à nossa vida. Se no fim de tudo isto, ganharmos um abraço ou um reforço extra, ainda o vamos saborear melhor, porque não vivendo para eles, quando chegam são sentidos como uma partilha de amizade, amor ou apenas de admiração.

Abdicar de viver pelo reforço deixa-nos mais saudáveis e mais centrados no que é de facto importante para nós, ou não, e mais alinhados com o nosso amor e com a nossa estima. E desta forma, ganhamos amor-próprio e anos de vida, e os outros que nos amam, vão continuar connosco, apenas porque nos amam e não porque fazemos brilharetes e fazemos conquistas epopeicas.

Diana

Comments 2

  1. Luisa ferreira

    Adoro os seus artigos …pois servem para parararmos um pouco e refletirmos sobre a nossa essência nesta vida!obrigada….e continuações para o sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *