2009_03_DSC_7215-2

A responsabilidade de não te sentires bem é de quem?

Diana Gaspar Amor, Mudança, Paz, Relacionamentos, Viver 1 Comment

A vida é um desafio constante, nunca sabemos o que lá vem, como, quando e que impacto vai ter em nós e nas nossas rotinas.  Se por um lado achamos que vamos ser eternos e delegamos para depois algumas decisões, alguns abraços e beijos, alguns “amo-te”, alguns pedidos de desculpa e algumas escolhas conscientes envolvidas em auto-compaixão e perdão, outras vezes perdemo-nos em pormenores do dia-a-dia, perdemo-nos a querer controlar tudo à nossa volta, perdemo-nos em querer agradar, em querer ser lembrado, em querer ser aceite pelos outros, para garantirmos que tudo está bem, porque os outros estão perto e nós vamos continuar a saber o que vem agora e depois, primeiro porque vivemos em função deles e depois porque controlamos de perto o que eles vivem. Resumidamente, vamos tentando controlar tudo à nossa volta para sentirmos que temos algum poder sobre a nossa vida através também da vida dos outros. 

E entre estes dois estados, o de deixar para depois o que depois pode já não ter resolução e o de querer controlar tudo o que vive à nossa volta que não depende de nós, muita vezes perdemos grandes oportunidades de mudar a nossa vida e de vivermos o melhor agora porque de facto, só agora podemos fazer alguma coisa por nós sem exigir que os outros façam alguma coisa para nos sentirmos bem. Quando assim é responsabilizas ou culpas os outros pelo teu bem-estar porque no fundo vives em função deles.

Também perdemos muito tempo a querer controlar o que não depende de nós, o que não dissemos, o que não fizemos, o que outros disseram, o que os outros fizeram, o que outros podem estar ou vir a fazer…que canseira!!! Os outros, no ontem, no amanhã e no hipotético agora que é deles, e não nosso, e por isso não controlável por nós.

Viver em função do que os outros fazem e das suas escolhas será sempre uma escravatura, porque não é uma escolha interna sem um sentido interior, mas é uma escolha por medo da perda e da não aceitação. Escolher em função do que os outros escolhem, viver em função do que os outros dizem, viver em função de uma imagem social, escolher em função do que os outros querem, será a escolha mais acertada se quisermos viver em função dos outros no tempo dos outros, num agora que não é nosso.

Será que é mesmo assim que queres viver? Será que é aos outros que precisas de responsabilizar pela vida que tens agora?

Precisas que os outros aprovem as tuas escolhas para as fazeres?

Precisas de que garantir que ninguém foge para viveres em paz agora?

Precisas que os outros validem as tuas ideias para avançares?

Precisas que os outros te valorizem agora para tu te valorizares?

Precisas que os outros te amem para tu te amares?

Precisas que os outros te respeitem para tu te respeitares?

Precisas mesmo do quê para viveres agora a vida que só agora podes construir e recomeçar?

Ganha consciência sobre o que queres viver agora e o que precisas de fazer agora em função das tuas necessidades interiores, em função de uma vida com propósito, significado,  amor e responsabilidade.

É agora que tudo começa e acaba porque só agora existe, na tua vida e na vida dos outros. Partilha a tua vida, mas não dependas de ninguém para florescer e recomeçar.

Define como queres viver e vive, sempre com respeito pelos teus valores e alinhado pelos teus sonhos e desejos.

Diana

Fotografia | Adriano Branco Neves

Comments 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *