2015_04_AJZ_0813

Do veneno ao perdão

Diana Gaspar Amor, Amor Próprio, Paz, Relacionamentos, Ser Feliz Com Sucesso, Viver 4 Comments

Para nos sentirmos bem e vivermos com saúde precisamos de nos alimentarmos de paz e amor. Só deles nasce uma vida feliz e equilibrada. Perdemos tanta energia contra as guerras e investimento tão pouco a favor da paz. Quando ligamos a televisão e ouvimos as notícias ficamos muitas vezes perturbados e incrédulos com a quantidade de zanga, raiva e guerras que há pelo mundo, mas esquecemo-nos de olhar para as zangas, raivas e guerras travadas dentro de nós. E o mundo precisa tanto da paz de todos, e continuamos a olhar e a julgar mais as guerras vividas fora de nós como se fossem diferentes das nossas. E não são. E tudo começa e parte de nós – do nosso amor que consegue depois tocar nos outros e alimentar o amor e a paz de forma global. De facto, por muitas voltas que se dê, o mundo começa mesmo a mudar quando cada um se decide mudar a si mesmo, a começar pela sua paz interior.

Envolvida nesta intenção de cultivar a paz e o amor, desenhei quatro passos que acredito que poderás implementar na tua vida com a intenção de alimentar o teu amor e cultivar a tua paz:

1.“O ressentimento é como beber veneno e, em seguida, esperar que ele mate os seus inimigos”.
Aquilo que sentes pelos outros, só em ti vive, só no teu corpo se manifesta, só no teu corpo que é sentido. Por muito que gostasses em alguma dimensão que o outro conseguisse sentir aquilo que tu sentes, por essa experiência ou situação, só em ti essas consequências são vividas e alimentadas. Assim sendo, percebe que veneno tens estado a viver e de forma mais consciente, como o podes ultrapassar e transformar. Só por ti.

2. Reconhece a zanga, a raiva e as guerras que vivem dentro de ti.
Este é um passo longo. Não significa que as consigas resolver e transformar de uma só vez. Não é essa a intenção. Escolhe um caderno onde possas escrever de forma mais breve ou mais longa tudo aquilo que sentes em relação às guerras que vives dentro de ti. Utiliza a escrita como uma forma de reciclar o teu interior. A partir do momento que escrever “para fora” limpas o que vive dentro. Se não quiseres escrever, escolhe apenas uma pessoa (só uma!) para partilhares aquilo que sentes. Partilha com ela tudo o que te vai na alma com a intenção de, no fim da partilha tirares alguma aprendizagem em relação a ti, de forma a ganhares mais resiliência, e não com a intenção de te continuares a intoxicar com esse assunto.
No entanto, ressalvo que o poder da escrita é imenso e absolutamente transformador. Depois de escreveres podes deitar fora, queimar, rasgar ou guardar. Faz o que te disser o teu coração envolvido na intenção de perdão.

3. Esquece e perdoa as pessoas envolvidas
Aquilo que escolhes olhar determinada aquilo com que vives. Se de forma consistente estás sempre a pensar, a falar e a lembrar dos motivos da tua zanga e guerras mais tempo vais viver nelas, mais envenenado vais estar e mais presente andará esse passado. Assim sendo, faz coisas que te façam sentir bem que envolvam atividade física. O trabalho fisico como por exemplo: treino metabólico, jardinagem, agricultura, limpezas (são tão terapêuticas!!!), uma caminhada vigorosa, nadar vão permiti-te transformar uma energia densa em energia leve e limpa. Para amares e perdoares precisas de energia, precisas de estar bem no teu corpo, precisas de harmonia e o movimento permite-te isto tudo.
Lembra-te que perdoar o outro também é perdoares-te a ti, por tudo aquilo que aconteceu. Assim sendo, com uma energia mais limpa e leve recorda a aprendizagem desta experiência e deixa partir essa pessoa do teu coração e da tua vida. Ficará na tua história mas não precisa de fazer parte do teu presente.

4. Cria um hábito de abundância diária
Criar abundância é criar amor, partilha, amizade sincera, cooperar, ajudar e um sem fim de comportamentos e hábitos que nos fazem sentir bem. É fácil de perceber o que nos faz bem e mal pela forma como nos sentimos durante e no fim daquilo que fizemos. Não faças nada para mostrar que fazes nem para te darem algo de troca. Faz porque te faz bem, faz porque te faz sentido e porque tens a intenção de criar abundância e paz dentro de ti. Quando mais semeares dentro de ti, mais vais colher, também dentro de ti. E se no fim, tiveres tocado no mundo de alguém com amor, melhor ainda!

Acredito que se guiares a tua vida com estas diretrizes construirás dentro de ti amor e paz contribuir para um mundo mais saudável e feliz. Alguns destes passos podem ser bastante desafiantes, mas quando toca à tua saúde física, emocional, mental e espiritual, não há preço e qualquer investimento vale a pena por mais trabalhoso que seja.

Com amor,
Diana

Fotografia | Adriano Branco Neves

Comments 4

    1. Post
      Author
    1. Post
      Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *