Diana (Botânico)-43

Como te sentes ao longo do dia?

Diana Gaspar Uncategorized 0 Comments

O que dizemos, fazemos, pensamos e sentimos logo pela manhã e ao deitar determina de forma muito significativa como nos sentimos ao longo do dia.

Começando pela manhã, às vezes, nem sabemos bem como nos levantamos da cama. Cansados, exaustos, atormentados, desgastados, zangados e um sem fim de estados emocionais não muito prazerosos ditam logo a energia com que começamos o dia. Nem nos apercebemos bem o que estamos a pensar, qual é o nosso foco, e a intenção que estamos a trazer para o dia que agora começa.

Comemos sem olhar, sentir, agradecer numa pressa mental desgastante a alimentar tudo aquilo que não queremos e nos faz sentir mal.

Afinal, como queremos mesmo viver o dia que agora começa? Com que energia o queremos viver? O que queremos fazer nele? Como o estamos a iniciar? Nem sabemos…atropelados pelos mesmos pensamentos de sempre ou quase sempre, começamos o dia de forma automática. Não nos sentimos muito bem mas não sabemos bem o que fazer ou até acreditamos que nem dá para fazer nada. É viver e pronto. Nesta automatização, e ligados ao noticiário da manhã,começamos o dia desejosos que chegue o almoço, e que a tarde passe rápida para voltarmos a casa.

Nem sabemos bem como estivemos, em que pensámos, ou se até temos esta consciência, achamos que a vida é assim para todos. Dura. Jantamos com a mesma pressa mental de tudo estar a pensar e de temer grande parte do que pensamos. Alimentamos o coração e mente com dramas televisivos e não só, que só nos fazem alimentar energia tóxica de desgraça, conflitos, guerras e tragédias. Elas existem por isso temos de estar informados.

No entanto, é este alimento e esta energia trágica que fica a ser processada na nossa mente quando vamos dormir. São estas imagens fortes, estas emoções tóxicas e estas tragédias que nos fazem ir para a cama a pensar na desgraça que é viver. E assim nos deitamos e acordamos no dia seguinte.

Se nos queremos sentir bem precisamos de levar a nossa consciência para aquilo que pensamos pela manhã e para o que fica a marinar quando estamos a dormir. Se não deitamos preocupados, focados no que não queremos no que nos faz mal e na dor, é muito mais difícil acordar no dia seguinte com energia e prontos para viver da melhor forma.

Assim, o convite que te deixo hoje é que observes como têm sido as tuas manhãs e com que energia te tens deitado. O que escolhes ver, ler, sentir e fazer quando começas e quando terminas o dia. A forma como vives o teu dia está altamente relacionado com a intenção que trazes para ele pela manhã e pela energia que geras dentro de ti antes de te deitares.

O que queres viver? Como te queres sentir? Do que te queres libertar? O que queres alimentar?

Será um bom começo 😉
Diana

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *