Diana (Botânico)-26

Pensas sempre primeiro nos outros do que em ti?

Diana Gaspar Amor Partilhado, Amor Próprio, Confiança, Determinação, Família, Mudança, Paz 3 Comments

Se não te sentes a personagem principal da tua vida estou certa que tens estado a sofrer.

São muitos os sintomas e sinais de sofrimento que têm origem no facto de sentir que se vive para agradar, ajudar, cuidar e dar prioridade às necessidades dos outros. E quando assim é, a vida é passada entre fazer o que os outros querem, precisam, necessitam e pedem. Quando assim vives, vives a cuidar de tudo o que vive fora de ti e não dentro.

Todos nós temos uma dose de energia individual para ser usada durante o dia e recarregada durante a noite ou nos tempos de descanso e de silêncio. Quando essa energia é investida e colocada sempre nos outros constróis um vazio dentro de ti por falta do teu cuidado e de não satisfazeres as tuas necessidades individuais. Vives em função das necessidades dos outros e não das tuas. Quando perceber que assim vives sentimentos de tristeza, insatisfação, desânimo, zanga, ansiedade e tensão percorrem o teu corpo e a tua mente. Dás por ti sem nada e sem ti porque achavas que te ias sentir bem só a cuidar dos outros e afinal nunca te sentiste tão mal…

Viver para os outros é uma arte que exige uma tomada de consciência constante. Nunca podes dar ao outro aquilo que não tens, nem esperar que o outro reconheça aquilo que lhe tens dado a ele e não a ti. Talvez o outro nem saiba o esforço que tens feito e talvez ele nem viva com as mesmas necessidades do que tu.

Acredito que o início do fim desta forma de viver trágica, que só traz e gera sofrimento e dor, começa quando percebes de onde vem a tua necessidade de viver em função das necessidades dos outros e onde nasce esse desejo de fazeres tudo para os agradar e ajudar. Talvez haja em ti a necessidade de reconhecimento, de te sentires importante para os outros, de que os outros também olhem para ti, de te sentires amado, desejado ou valorizado. Depois de perceberes onde nasce a tua necessidade de colocar sempre os outros à tua frente é preciso que percebas que essa é uma falsa crença porque, muitas vezes, para fazeres sempre pelos outros, vais deixando de fazer por ti. E na tua vida só tu podes avançar, agir e transformar. Não esperes que, tal como tu, os outros deixem de viver as suas vidas por ti.Cada um na sua, e em momentos de partilha, todos numa só. Para seres altruísta e cuidador não precisas de te anular, antes pelo contrário.

Se deves ajudar os outros? Acredito que sim, sempre que puderes e conseguires. Se deves deixar de viver a tua vida pelos outros? Acredito que não, porque estarás a traçar um caminho para viveres infeliz e vazio.

Na tua vida só tu podes cuidar de ti, só tu podes perceber o que queres e só tu te podes recarregar no que gostas e precisas de fazer.

Diana

Fotografia | Adriano Branco Neves

Comments 3

  1. Maria Fernanda Lopes Ferreira

    Sim tenho passado 55 anos da minha vida a cuidar dos outros e fazer o que os outros querem. Neste momento estou desempregada e não tenho energia e completamente perdida sem saber o quero, o que devo e o que me me minimamente feliz e realizada. Estou perdida

  2. Suzanne

    Tudo isso é verdade. Mas cuidar de quem se ama também nos preenche. Anulei-me por quem não merecia, azar! mas também me anulei por outros por quem valeu muuuuito a pena, por estes, valeu muito, porque fui e sou amada incondicionalmente! Percebi que tinha de me valorizar e me amar, foi duro, tem sido uma aprendizagem todos os dias. Mas aqueles a quem me dei e me amaram e amam tão intensamente só posso agradecer! A quem amei mais do que a mim mesma, obrigada! Aprendi a nunca mais voltar a “pecar”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *