IMG_1121

Pais: libertem os vossos filhos!

dianaadmin Família 5 Comments

Pais, libertem os vossos filhos daquilo que eles não são. 
Libertem-nos daquilo que gostavam que eles fossem, das notas que desejavam que eles tivessem, do comportamento exemplar que sonhavam que eles espelhassem.
Libertem dos apresentarem como bons ou maus, de os apresentarem pelas notas que têm, libertem-nos das comparações e da aparência, numa cultura que parece às vezes crescer vazia de amor, e cheia de falsas necessidades, onde a responsabilidade morre sozinha e ninguém é responsável por nada, inclusive os pais pela felicidades dos seus filhos.
Libertem-nos dos vossos medos, daquilo que sonharam para eles.
Modelem-nos com amor, com respeito, com responsabilidades de acordo com a idade, de acordo com as necessidades, e de acordo com aquilo que os faz realmente crescer: a tentativa, o erro, e a aprendizagem. Modelem-nos a ser e não a ter, a viver de dentro da para fora, a viver com os erros sem crítica mas com conversas francas e verdadeiras. 

Pais, filhos que crescem a sentir que não correspondem as expectativas dos pais, serão sempre filhos infelizes à procura de serem aquilo que não são.

Diana

Fotografia | Ritabela Santos

Comments 5

  1. Artur Costa

    Bonito texto, Diana. Mas será essa a solução da boa educação. É que por um lado temos a experiência de já sermos criados, mas depois temos as dúvidas daquilo que deveremos fazer ou não. E a responsabilidade?…sabes o que é?
    Ser pai ou mãe não é por gosto, é porque houve vontade de o ser. Se assim foi um novo universo apareceu e, quantos mais nascerem mais universos haverá…
    Saberei sempre que vida é só uma. Esta e mais nenhuma 🙂

    1. blogdianagaspar

      Obrigada pela sua partilha Vitor 🙂
      Expectativas e responsabilidades não são a mesma coisa… Podemos aceitar os filhos como são assumindo a nossas responsabilidades parentais, educando também para a responsabilidade.

  2. Arlinda Brito

    Fantástico este artigo. Todos os pais e educadores, deveriam de ler e perceber , como por vezes podem ser responsáveis pela infelicidade dos seus filhos.

  3. Cristina

    Bom Dia,

    Recebi este artigo através de uma colega.
    Chorei quando li, porque tudo o que li para mim corresponde à realidade, infelizmente….
    Por vezes não queremos entrar nesse jogo mas somos empurrados à força toda para o meio dele porque infelizmente a maioria das pessoas pensa assim.
    Como me sinto, triste desde que a minha filha foi para a escola primária…e como me sinto um grão de areia minúsculo a pensar da forma como a Diana pensa…E mais triste fico ainda, quando me vejo a empurrar a minha filha para o mesmo jogo, a maioria das vezes sem pensar, sem refletir, pois achamos que não há tempo para pensar mas mais tarde arranjamos tempo para pensar só que já é tarde….OBRIGADA DIANA

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *