Ana Lopes 6

Portas

dianaadmin Amor, Amor Partilhado, Amor Próprio, Paz, Relacionamentos 0 Comments

Não sei quantas portas abrimos e fechamos na vida, nem sei se alguém o saberá. Sinto apenas saber que algumas delas só se abrem quando fecha- mos outras. Sinto apenas que há portas que não podem estar abertas em simultâneo, porque fazem corrente de ar, e já sabemos que a corrente de ar dá sempre um bater de portas feio.
 
Não sei quantas portas temos, mas sei que há portas que temos de fechar, para outras podermos abrir. Cada porta abre vida a cada história, com personagens, enredo, episódios e desfechos. Algumas sem o desfecho que desejávamos, mas com o desfecho possível. Nunca sabemos se o desfecho possível não se mostra ser o melhor um pouco mais à frente, na história da nossa vida.Há portas pesadas, que custam a fechar. Principalmente estas, as dos des- fechos possíveis.Há portas que custam a fechar pelo peso, fazemos tanta força e parece difícil.
 
São pesadas pela importância, ou pela importância que lhes damos.São pesadas porque nos marcam, ou marcaram.
 
São pesadas porque fazem e farão sempre parte da nossa história.Mas temos de as fechar, com a intenção de deixarmos abrir aquelas que tornam o mundo mais leve e com mais cor, mais belo, mais colorido, mais elegante.
 
Aquelas que se abrem para um mundo próspero em felicidade e harmonia, para um mundo mais amistoso.Vençamos o medo de fechar histórias com portas.Não sabemos quando o fecho de uma pode dar liberdade para outra.
 
Fechar portas e abrir portas faz parte da história de cada um de nós.Não nos apeguemos em demasia às portas da nossa história, porque quando fechamos uma, estaremos sempre disponíveis para abrir outras que poderão ser sempre muito melhores.
 
 
Diana
In Crónicas de Uma Vida Que se Vive Todos os Dias
 
Fotografia | Ana Lopes

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *